Light Grey Pointer Uma vida Literária : Julho 2016

27 de julho de 2016

Mensagem: Livro O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe foi escrito por Antoine de Saint-Exupéry, aviador, ilustrador e escritor. Foi publicado em 1943.

Uma obra atemporal, lida por muitos e conhecida por quase todos. Apesar de ser um livro infantil, ele fala e toca os corações de leitores de qualquer idade.

Nessa coluna costumo trazer crônicas e poemas que nos façam pensar, ou parar de pensar e nos permitir apenas sentir. O Pequeno Príncipe é perfeito para vários momentos, porque suas lições são eternas e nos relembram o que realmente é importante na vida.

"É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou. Entregar todos os teus sonhos porque um deles não se realizou, perder a fé em todas as orações porque em uma não foi atendido, desistir de todos os esforços porque um deles fracassou. É loucura condenar todas as amizades porque uma te traiu, descrer de todo amor porque um deles te foi infiel. É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo. Espero que na tua caminhada não cometas estas loucuras, lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor, uma nova força. Para todo fim um recomeço." 

(O Pequeno Príncipe)

26 de julho de 2016

Playlist literária: Músicas da Semana

Oi gente, tudo bem?
Quem me conhece sabe que sou conduzida por músicas, e que eu tenho um gosto bastante eclético, pensando nisso eu decidi trazer essa semana uma playlist fresquinha das músicas que mais ouvi no decorrer dessa última semana... Espero que gostem ;)

Melanie Martinez - Cry Baby




25 de julho de 2016

Resenha: A Garota do Calendário #Janeiro

TítuloA Garota do Calendário: Janeiro
AutoraAudrey Carlan
EditoraVerus
Páginas157
Sinopse: Considerado pela imprensa americana o próximo 50 tons de cinza.
Mais de 600 mil livros vendidos nos Estados Unidos em três meses.
Direitos vendidos para cerca de 30 países.
Fenômeno editorial nos Estados Unidos com mais de 3 milhões de cópias vendidas. Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Ela precisa de um milhão de dólares. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.


Resenha:

Quem me conhece sabe que tenho uma dificuldade enorme de gostar de um livro erótico, e isso tudo se deve a mesma receita que todos esses livros parecem seguir: homem lindo e rico, mulher geralmente numa situação financeira ou emocional abalada, aí eles se envolvem e é tipo amor a primeira vista. E então a magia acontece, é uma explosão de sentimentos e eles simplesmente não podem mais ficar um sem o outro... Entendam uma coisa, eu gosto de romance, esse é um dos gêneros que mais leio, porém eu simplesmente não consigo aceitar esse tipo de amor arrebatador, que acontece de uma hora para outra, principalmente em um livro erótico. Mesmo assim, devido aos inúmeros comentários positivos que eu ouvi sobre esse livro decidi lê-lo, e enfim saber porque ele virou uma febre entre os leitores.

Mia sempre teve o dedo podre para homens, sendo assim ela acabou se apaixonando sempre por alguém que não corresponderia aos seus sentimentos. Mas foi em seu último relacionamento que ela acabou se envolvendo com um agiota, que aproveitou a aproximação que tinha com ela para emprestar dinheiro ao seu pai, um alcoólatra que acabou perdendo todo dinheiro nas mesas de jogos. Agora o pai de Mia esta na UTI e ela tem que correr para conseguir pagar seu ex, ou ela e toda sua família corre um grande perigo. Para isso ela aceita a proposta de ser acompanhante de luxo, a cada mês um cara diferente e 100 mil na sua conta. E é assim que ela se torna a Garota do Calendário.
No mês de janeiro Mia ira se encontrar com Wes, um influente roterista de cinema, e com quem ela vai viver momentos de grande prazer.
A Garota do Calendário tem uma premissa bastante interessante e, confesso que foi exatamente isso que me chamou a atenção, mas mesmo com uma ideia central tão chamativa, infelizmente o livro não deu certo para mim.
O livro tem suas 127 paginas narradas por Mia, e tudo acontece de forma extremamente rápida, que em alguns momentos fica até difícil acompanhar o que de fato tá acontecendo com os personagens. Existe parte hot no livro sim, e de certa forma elas são até que satisfatórias, mesmo eu acreditando que poderia ser bem melhor. Até porque a personagem não aparenta ter pudores e isso deveria ser melhor aproveitado pela autora.

Wes foi um personagem que me agradou bastante, mesmo que a autora não tenha se aprofundado muito em sua personalidade ele conseguiu me passar um pouco de verdade, e assim acabou me conquistando.
É fato que o enredo tem inúmeros furos, um exemplo é que todos parecem saber que Mia esta ali apenas como uma acompanhante de luxo, e não como a namorada que ela deveria representar. Outros é a forma rápida como as coisas acontecem, as cenas mudam de forma repentina, e nenhumas delas parecem ter sido escritas com dedicação. As cenas eróticas, como já disse, são satisfatórias, porém senti falta de um pouco de ousadia na parte da autora, em um livro com esse tipo de premissa não deveria existir pudores ao falar de sexo.
Eu jamais poderia tirar o mérito da Editora Verus, que vem fazendo uma divulgação incrível da obra. E lógico que a edição tá linda, as capas de todos os livros da série são incríveis e, pelo menos nos dois volumes que já tive a oportunidade de ler, não consegui encontrar nenhum erro de revisão.
Enfim, A Garota do Calendário: Janeiro, é um livro que promete fugir do padrão, porém infelizmente só promete. Espero que a autora se aprofunde mais no decorrer dos outros livros, e assim honrar toda a fama que vem ganhando devido ao grande trabalho de marketing por parte da editora.

22 de julho de 2016

Canção do Amor que Chegou - Vinícius de Moraes

Amor, essa música celebra lindamente o amor. Não apenas o amor romântico, mas o amor entre amigos, irmãos, pais e filhos, família de sangue ou coração...
Viva tantos amores que realçam as cores e sabores da vida,

CANÇÃO DO AMOR QUE CHEGOU
Vinicius de Moraes, Carlos Lyra

Eu não sei, não sei dizer
Mas de repente essa alegria em mim
Alegria de viver
Que alegria de viver
E de ver tanta luz, tanto azul!
Quem jamais poderia supor
Que de um mundo que era tão triste e sem cor
Brotaria essa flor inocente
Chegaria esse amor de repente
E o que era somente um vazio sem fim
Se encheria de cores assim

Coração, põe-te a cantar
Canta o poema da primavera em flor
É o amor, o amor chegou
Chegou enfim





19 de julho de 2016

Resenha: O Ar Que Ele Respira

Título: O AR QUE ELE RESPIRA
Autora: Brittainy C. Cherry
Editora: Record
Páginas: 308
Sinopse: Elisabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. A dor da perda ainda a consome, as lágrimas ainda insistem em cair, mas ela encontra em Emma, sua filha de 5 anos, a força de que precisa para recomeçar.

Ao retornar à pequena Meadows Creek, Elizabeth chega à conclusão de que tudo, com exceção dela própria, continua igual: as fofocas, os velhos amigos, a estranha loja do Sr. Henson...

Ou melhor, quase tudo. Seu novo vizinho, Tristan Cole, é o cara mais falado da cidade, porém todos o evitam. Grosseiro, solitário, com olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Com o tempo, Elizabeth descobre que, por trás do ser intratável, há um homem que foi devastado pela morte das pessoas que mais amava, e tenta se aproximar dele, mas Tristan faz de tudo para impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado, não há espaço para um novo começo. Ou há?

14 de julho de 2016

Playlist literária: Rock and Roll

Oi gente, tudo bem?
Como todo mundo sabe ontem foi dia do Rock'n'roll e pensando nisso eu decidi trazer para vocês as musicas que mais curto nesse ritmo, elas são bem antiguinhas kkk, mas mesmo assim espero que gostem e curtam cada música. ;)

12 de julho de 2016

Crônica: O que é ser mulher?

Crônica: Martha Medeiros
Livro: A graça da coisa
11ª Edicão
Editora: L&PM
Créditos na imagem: www.busqueaqui-gyn.com.br



O QUE É SER MULHER?
06 de março de 2013

Sempre que chega essa época do ano, prometo a mim mesma: minhas próximas férias serão tiradas em março. Vou alugar uma choupana em Ushuaia e só volto quando pararem de falar do Dia da Mulher. Apenas para evitar a pergunta que tantos pedem que a gente responda: "O que é ser mulher?".

Basicamente, ser mulher é ter nascido com os cromossomos XX. Será que isso responde a questão? Responde, só que de modo desaforado. Espera-se que colaboremos: "Ser mulher é ser mãe, esposa, profissional...". Alguém ainda aguenta essa chorumela?

Se é para refletir sobre o assunto, então sejamos francos: ninguém mais sabe direito o que é ser mulher. Sofremos uma descaracterização. Necessária, porém aflitiva. Entramos no mercado de trabalho, passamos a ter liberdade sexual e deixamos para ter filhos mais tarde, se calhar. Somos presidentes, diretoras, empresárias, ministras. Sustentamos a casa. Escolhemos nossos carros. Viajamos a serviço. Saímos à noite com as amigas. Praticamos boxe. O que é ser mulher, nos perguntam. Pois hoje, ser mulher é praticamente ser homem.

Nossa masculinização é um fato. OK, nenhuma mulher desistirá de tudo o que conquistou. A independência é um ganho real para nós, para nossa família e para a sociedade. Saímos da sombra e passamos a existir de forma plena. E o mundo se tornou mais heterogêneo e democrático, mais dinâmico e produtivo, em suma: muito mais interessante. Mas não nos deram nada de mão beijada, ganhamos posições no grito, falando grosso. E agora está difícil reconhecer a nossa própria voz.

"Sou mais macho que muito homem" não é apenas o verso de uma música de Rita Lee, é pensamento recorrente de cérebros femininos. Alguém aí conhece uma mulher reprimida, omissa, sem opinião, sem pulso? Foram extintas e deram lugar às eloquentes.

Nada de errado, repito. Acumulamos uma energia bivolt e isso tem nos trazido inúmeros benefícios - deixamos de ser um simples acessório, nos integralizamos. Mas essa mulher ainda se permitirá um segundinho de "cuida de mim?" Se os homens estão se permitindo ser frágeis, por que não nos permitimos também, nós que temos os royalties dessa condição?

É no amor que a mulher recupera a sua feminilidade. E na relação a dois. Na autorização que dá a si mesma de se sentir cansada e de permitir que o outro tome decisões e a surpreenda. É através do amor que voltamos a confiar cegamente, a baixar a guarda e a deixar que nos seduzam - sem considerar isso ofensivo. Muitas mulheres estão desistindo de investir num relacionamento por se julgarem incapazes de jogar o jogo ancestral: eu, provedor; você, minha fêmea. Os homens sabem que já não iremos nos contentar em receber mesada e ficar em casa guardando a ninhada, mas, na intimidade, que tal deixarmos a testosterona e o estrogênio interpretarem os seus papéis convencionais?

Um amor sem tanta racionalidade, sem demarcação de território, sem guerra pelo poder. Amolecer de vez em quando, com entrega, com gosto. É onde ainda podemos ressuscitar a mulher que fomos, sem prejuízo a mulher que somos.

8 de julho de 2016

Resenha - Isla e o Final Feliz

Título original: Isla and the Happily ever efter
Autor (a): Stephanie Perkins
Editora: Intrínseca
Páginas: 304

Sinopse: Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, por muito tempo.
Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias, envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto o futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes. 

7 de julho de 2016

Resenha: Teoria do Amor

Titulo: Teoria do Amor
Autora: Alice FRS
Vendido: Amazon Serviços de Varejo do Brasil Ltda
Páginas: 411
Sinopse: Alex de Medeiros, cético quanto ao amor, não entende como uma pessoa se torna dependente de outra, afetivamente. Aos 39 anos é um solteiro convicto, ermitão por necessidade ocasional, vive numa casa afastada da civilização, onde não há eletricidade, água encanada, meios de comunicação nem veículos.

Maya Barreto, leitora aficionada, é uma romântica inveterada que não consegue imaginar a vida sem amor; mesmo os platônicos. Aos 26 anos decide investir num relacionamento e aceita passar suas férias visitando as cidades de Santa Catarina na companhia de William Reis, rapaz por quem é apaixonada secretamente a três anos. O que ela não contava era que Willian se envolvesse com uma desconhecida na primeira oportunidade.

Por obra do destino, os caminhos de Alex e Maya se cruzaram, obrigando-os a conviverem sob o mesmo teto por três dias. Até que a separação ocorra, ambos terão de aprender a lidar um com o outro. Tarefa nada fácil, uma vez que a atração surgida entre eles se assemelha a dos cães e gatos.

Fachada, pois desde o início Alex a considera uma mulher atraente. Maya, por sua vez, ao reparar que sob a casca grossa do "ogro" existe um homem culto, atencioso e educado, sente os primeiros sinais de seu interesse.

Seria possível que esses oposto reconhecessem a atração e cedessem ao que ditava seus corações?

5 de julho de 2016

Crônica Millor Fernandes

Essa crônica é uma graça e apesar de ser super conhecida é muito bom relembrá-la sempre. Quanta verdade em uma historinha tão singela... Parece feita para crianças, mas a lição é de gente grande.
*  Créditos na imagem: www.ecodesenvolvimento.org

O piquenique das tartarugas

Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique.
As tartarugas, sendo naturalmente lentas, levaram sete anos preparando-se para o passeio.
Passados 6 meses, após acharem o local ideal, ao desembalarem a cesta de piquenique descobriram que estavam sem sal.
Então, designaram a tartaruga mais nova para voltar para casa e pegar o sal, por ser a mais rápida.
A pequena tartaruga lamentou, chorou e esperneou, mas concordou em ir com uma condição: 
que ninguém comeria até que ela retornasse.
Três anos se passaram... Seis anos... E a pequenina não tinha retornado.
Ao sétimo ano de sua ausência, a tartaruga mais velha já não suportando mais a fome, decidiu desembalar um sanduíche.
Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou:
-Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora mesmo que eu não vou buscar o sal.

Pense bem! Algumas vezes em nossa vida as coisas acontecem da mesma forma. Desperdiçamos o nosso tempo esperando que as pessoas vivam a altura das nossas expectativas.
Ficamos tão preocupados com que os outros estão fazendo que deixamos de fazer o que nos compete.

Como disse Mário Quintana: o pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso.
Por isso, vivamos nossa vida e deixe de se preocupar com a opinião e o interesse dos outros por nós.

Não venci todas as vezes que lutei, mas perdi todas as vezes que deixei de lutar!

4 de julho de 2016

Resenha: Namorado de Aluguel

Titulo: Namorado de Aluguel
Autora: Kate West
Editora: Verus
Paginas: 250
Sinopse: Quando Bradley, o namorado de Gia Montgomery, termina com ela no estacionamento do baile de formatura, ela precisa pensar rápido. Afinal, ela vem falando dele para suas amigas há meses. Esta era para ser a noite em que ela provaria que ele não é uma invenção da sua cabeça. Então quando vê um garoto esperando a irmã no estacionamento do baile, Gia o recruta para ajuda-la. A tarefa é simples: se passa por namorado dela por duas horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. Depois disso ela pode tentar reconquistar o verdadeiro Bradley. O problema é que alguns dias depois do baile, não é em Bradley que Gia está pensando, mas no substituto. Aquele cujo nome ela nem sabe. Mas localizá-lo não significa que o relacionamento de mentira deles acabou. gia deve um favor a esse cara, e a irmã dele tem a solução perfeita: a festa de formatura da ex-namorada dele, apenas três horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas.
E, justamente quando Gia começa a se perguntar se pode transformar seu namorado falso em real, Bradley reaparece, expondo sua farsa e ameaçando destruir suas amizades e seu novo relacionamento.
Inteligente e maravilhosamente romântico, Namorado de Aluguel retrata a jornada inesperada de uma garota para encontrar o amor e possivelmente até a si mesma.