9 de fevereiro de 2016

Resenha: O duque e eu


Ano: 2013
Número de páginas: 288
Editora: Arqueiro 
Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.



Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.

Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Resenha: O nascimento de Simon Basset, filho do conde (título dado de cortesia) de Clyvedon, o nono duque de Hastings, foi uma enorme festa a aldeia. Depois de cinco tentativas fracassadas, entre abortos e bebês nascidos mortos, uma gestação vingou e finalmente o herdeiro nasceu. Quanta expectativa para um só neném... Mal nascera e já precisava carregar um nome em potencial, o qual deveria honrar e preservar, deveria procriar para que houvesse o máximo de chances possíveis para que o ducado permanecesse com os Basset. Mas, ora, ele era só uma criança, inclusive aos 4 anos, quando o duque escutou, pela primeira vez, o garotinho falar, embora o pai não tenha gostado nada de como havia sido.

A vida de Simon foi progressivamente boa, tinha os privilégios materiais e financeiros de um filho de duque, mas nada disso acalmava a raiva que ele nutria pelo pai, nem mesmo quando este morrera e o nome Hastings fora transferido imediatamente para Simon, o rapaz se sentiu mais sensível com a relação familiar. Confesso ser a favor do novo duque e reconhecer que aquilo que ele sentia - tamanha ira - não era um tipo de "pecado", era uma reação adversa à falta de amor, de atenção, de apoio paternal.

Devido ao falecimento, Simon decidiu retornar a Londres e tomar o lugar de direito, embora não estivesse gostando nada de ser chamado de "duque de Hastings" e precisar enfrentar as centenas de mães enlouquecidas que imploravam - literalmente - para que Simon olhasse para suas filhas já apresentadas para a sociedade e ainda solteiras. No entanto, devido a perturbada infância que viveu, o duque prometeu para si que não teria filhos, muito menos se casaria, o objetivo era não dar continuidade ao que o pai lhe deixara de herança. Seria relativamente fácil cumprir a decisão, a maior parte das debutantes eram cabeças-de-vento e só sabiam tagarelar sobre vestidos, e chapéus, e sapatos... Até que Simon intrometeu-se numa cena um tanto peculiar em seu primeiro baile, o de Lady Danbury, com Daphne Bridgerton, a irmã de seu melhor amigo Anthony, de personalidade e senso de humor fortíssimos.

"Daphne já tinha percebido que ele era atormentado por um demônio interior. Ele disfarçava bem, sobretudo, quando estava em sua companhia, mas ela já o tinha visto várias vezes com um lúgubre expressão de desespero nos olhos. [...] Às vezes Daphne achava que era a única pessoa com quem ele ficava relaxado o bastante para rir, brincar e conversar amenidades..."

Guardar o segredo que o atormentava foi praticamente impossível para Simon, mas nada era mais difícil do que se controlar quando estava com Daphne ali, ao lado dele, sem se permitir tocá-la, mantendo o respeito a ela e ao irmão dela, Anthony. Daphne também não estava passando por uma fase simples, os olhos azuis do duque a faziam sentir coisas que nunca imaginara e que também não deveria sentir: ele era um duque, e duques eram carrancudos e ignorantes, além de terem a fama de mulherengo. Na verdade, ele era o oposto do homem exemplar que ela sempre sonhara que lhe daria filhos, uma família feliz e unida, como a dela própria, com oito irmãos. 

A primeira parte de O duque e eu pode até ser considerada um romance de época bem parecido com quaisquer outros que tenham visto/lido, mas garanto que a segunda, com certeza, é distinta. Por mais que Simon Basset fosse enorme, forte e ágil, depois de ter sido pego seduzindo Daphne, precisou pagar o preço nas mãos de Anthony, Benedict e Colin, os irmãos mais velho de Daff, o que me deu grande pena (rs).  

Essa é a segunda vez que leio O duque e eu, e, desde a primeira vez, assim que fechei o livro no fim da leitura, tive vontade de reler. Prendeu-me muito a história e acabei deixando-me levar pelas opiniões comuns e não entrando sensivelmente na história como costumo fazer. Por ser o primeiro, é um dos melhores da coleção Os Bridgertons e me garantiu cenas contrastivas com outros romances de época que leio há anos. Essa contraposição, modernidade, objetividade que Julia Quinn domina em seus livros me despertou uma paixão incondicional com a coleção e por todos os oito filho de Violet Bridgerton: Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. Felizmente, já existe um livro para cada um deles e por mais sete semanas vocês poderão acompanhar aqui no blog a resenha deles a cada semana. Espero que gostem e se apaixonem como eu!

27 comentários:

  1. Ooi
    Amei a resenha! A história parece ser ótima ao meu ver.kkkk ❤ Amo essas histórias em que o romance não começa desde o começo do livro.
    Beijoos!
    www.estantemineira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oieee!Sou muito a fim de ler toda a série dos Bridgertons, mas são tantos livros que sempre fico meio confusa. é esse que falam que é baseado em cinderela? Parece ser bem legal a história! Bjosss


    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, flor, esse é o primeiro livro e não tem nada escrito sobre cinderela na resenha. bjs

      Excluir
  3. Isa, esse foi o único livro que li da série e amei.
    Assim que acabei também tive vontade de reler.
    É uma história apaixonante e com personagens incríveis.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Deborah.. deveria ler os outros, O visconde que me amava é TÃO bom!
      bjss

      Excluir
  4. Oiee,
    Eu não gosto muito de romances de época, mas eu estou vendo MUITOS comentarios sobre essa serie e estou pensando em talvez dar uma chance a ele.

    Étreintes!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. oie
    sua resenha está muito legal, sempre ouço muuitos elogios da leitura e da autora mas o gênero nunca me chamou atenção, mesmo assim, parece uma boa dica para quem curte

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/p/politicas.html

    ResponderExcluir
  6. Menina, arrasou na resenha. Todo mundo fala desse livro,mas não tive a oportunidade de ler confesso que sua resenha me deixou babando ainda mais no livro .

    ResponderExcluir
  7. Oi, romances de época não é meu forte, mas esses da Julian estão ganhando um espaço em mim (ficou estranho neh!! kkkk) e logo vou dar uma chance.

    Até mais, http://www.meninoliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Já vi milhares de resenhas dessa série, mas não consigo ler nenhuma das histórias. Não é um gênero que eu gosto, então não arrisco a leitura. Parabéns pela resenha!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oie!!
    Adorei sua resenha!!
    Já tive o prazer de ler todos da série e olha, amor define!
    Julia Quinn é realmente ótima e o da Daph foi um dos meus preferidos da série.
    Bjos

    http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, por ser a primeira ela sempre vai ter um espaço reservado!
      bjs

      Excluir
  10. Oi,
    Isa, tudo bem? Adorei sua resenha! Realmente, para você ter lido novamente O Duque e Eu deve ser uma ótima leitura mesmo. Espero poder ler em breve. Nunca li nenhum romance de época e é bom saber que este se diferencia neste meio (mesmo que seja só após a segunda parte). bjsss
    www.quinzeinvernos.com

    ResponderExcluir
  11. Oiii
    Falta um livro para acabar essa série e eu ainda não li o primeiro. Só leio resenhas positivas. Estou ansiosa para começar!
    Bjus

    ResponderExcluir
  12. Olá, eu morro de vontade de ler essa série mas não tive oportunidade ainda, espero esse ano conseguir isso. Parabéns pela resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  13. Ei, tudo bem?
    Está na minha meta desse ano começar essa série, que é tão elogiada pelos fãs de romances de época. Por tudo que já li sei que vou me encantar muito pela história, e espero que não demore para acontecer.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  14. Olá! Eu já ouvi falar muito dessa série e já cheguei a segurar esse livro muitas vezes nas minhas idas a livraria, mas até agora... Nada, haha. Mas gostei muito da sua resenha, realmente me deu certa motivação em finalmente dar uma chance e ler <3

    Beijos!
    Hels, The Blue Blog

    ResponderExcluir
  15. Por mais livros lindos, que tenham mulheres fortes e que nos dêem vontade de reler como esta. Haha. Parabéns pelo amor pelo livro e pela resenha

    ResponderExcluir
  16. Eu tenho muita vontade ler essa série do livros da Julia Quinn, parece ser ótimos mesmo.

    ResponderExcluir
  17. Ola Isa!!!
    Tenho um apresso incondicional por livros de época, são sempre leituras que me encantam e por isso sempre qiero mais hahhahah Eu tenho os oito livros no kindle, mas ainda não parei para ler porque imagino que depois de lido o primeiro, só vou parar quando acabar e como tenho alguns aqui que são peioridades acabei deixando eles quietinhos!
    Amei a resenha e espero em breve poder iniciar a leitura e conhecer a tão aclamada Julia Quinn

    Beijokas

    ResponderExcluir
  18. Oie!
    Também adoro essa série e o primeiro livro (assim como outros da série) é muito amor ♥ sou encantada por essa família linda e pela escrita da Julia Quinn. O último livro que li foi O Segredo e Colin Bridgerton e mal posso esperar pela leitura da próxima obra e com certeza futuramente irei reler essa série cativante ♥♥♥♥
    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  19. Isa como eu amo esse livro!!!
    Tive a oportunidade de le-lo pro Desafio do Blog e ameiiiiiii a serie... quero muito ler o restante o mais rapido possivel hhaha

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  20. Nossa, acho que já perdi as contas de quantas vezes li resenhas desse livro ou qualquer outra obra da autora. No início, até me interessava pela leitura, mas com o tempo esse interesse foi minando. Livros de época me deixam bem irritada, às vezes, sabe eu adoro o século 21 e toda a liberdade feminina, então fica bem chato ler esses romances, eu tenho ir com a cabeça bem aberta e com o mantra: "Karina, o mundo já foi assim. Os autores estão só retratando uma época" (risos). Gosto bastante da personalidade da protagonista. Boa sorte com essa maratona aí, um livro por semana!

    Abraços,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir
  21. oii tudo bem?
    Bom eu ja queria ler esse livro ppois amo romance de epoca, agora que li essa resenha maravilhosa ja vou adicionar a minha lista , parabens pela resenha!

    ResponderExcluir
  22. oii tudo bem?
    Bom eu ja queria ler esse livro ppois amo romance de epoca, agora que li essa resenha maravilhosa ja vou adicionar a minha lista , parabens pela resenha!

    ResponderExcluir