Light Grey Pointer Uma vida Literária : Resenha: The Kiss of Deception

14 de novembro de 2016

Resenha: The Kiss of Deception

Título: The Kiss of Deception
Autora: Mary E. Pearson
Editora: Darkside
Páginas: 406
Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, historias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre os dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?
Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e esta desesperadamente a sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrara perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.
O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos faz repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.



Resenha:

“Aquele era o dia que mil sonhos morreriam e um único sonho nasceria.”

Logo no inicio nos somos apresentados a princesa Arabela Celestine Idris Jezelia, primeira filha da Casa de Morrighan, também conhecida como Lia. Desde sempre Lia passou a vida presa a tradições e obrigações, mas ela chega a ao seu limite quando se vê obrigada a se casar com um príncipe que ela nem sequer conhece, a fim de firmar uma aliança e um tratado de paz entre o seu reino e o reino de Dalbreck.
Determinada a não se curvar diante da vontade imposta pelos dois reinos, Lia decide fugir. E assim, ela e sua fiel amiga e criada Pauline abandonam Cívica rumo à vila de Terravin. Chegando lá, elas começam a trabalhar em uma pequena estalagem, servindo mesas, ajudando na limpeza dos quartos, entre outros pequenos serviços. E é nessa nova vida que Lia finalmente se sente dona do seu próprio destino e desejos, sem precisar se importar se suas atitudes são ou não aprovadas pela corte real. E tudo em sua vida parece perfeito, até a chegada de dois estranhos na cidade.
Lógico que esses dois estranhos, tão distintos e ao mesmo tempo tão parecidos vão chamar a atenção de nossa princesa, ainda que por motivos diferentes. Kaden e Rafe também demonstram um grande interesse por Lia, porém ambos escondem um segredo, um deles é o príncipe abandonado, e o outro é um assassino que foi enviado para matá-la e assim garantir que a aliança entre Morrighan e Dalbreck jamais será firmada. Mas qual deles será o assassino? E qual será o príncipe?
Uma princesa fugitiva, um príncipe abandonado e um assassino... Falando assim parece de The Kiss of Deception não passa de mais um daqueles romances com uma mocinha chata e prepotente, tendo que decidir com quem fica no meio de um triângulo amoroso forçado. Claramente aquele livro que a maioria de nos leitores já estamos cansados de ver por aí. Mas eis que Mary E. Pearson nos apresenta um enredo muito melhor do que realmente parece ser.

"Pode-se levar anos para moldar um sonho, mas é preciso apenas um segundo para despedaçá-lo."

The Kiss of Deception é sem dúvida uma das minhas maiores surpresas desse ano, primeiro por ser um gênero que eu dificilmente leio, e segundo, porque os elogios em torno da trama estavam me deixando com certo medo de criar inúmeras expectativas e mais uma vez ver cada uma delas serem frustradas ao longo da leitura.
Diferentemente da maioria das personagens do gênero, que se dizem fortes e determinadas, mas passam uma boa parte da trama se lamentando pelos cantos, ou perdida na duvida de qual rapaz merece sua atenção no momento. A autora nos apresenta aqui uma personagem forte, determinada, corajosa e destemida, mas não de maneira superficial ou até mesmo surreal. Lia logo no inicio do livro se mostra a que veio, e o quanto ela esta determinada a fugir daquilo que a sociedade está tentando lhe impor, e que mesmo que ela tenha que enfrentar alguns infortúnios, ela não vai desistir tão facilmente de escrever sua própria historia.
Falando um pouco sobre Kaden e Rafe, e sobre qual deles seria o príncipe e qual seria o assassino, preciso confessar que foi fácil prever quem seria quem em alguns momentos, mas mesmo assim preciso elogiar a sagacidade da autora ao colocar esse mistério entre os personagens, e de maneira tão bem trabalhada, o que acaba instigando ainda mais o leitor.

"A verdade é que achei ambos atraentes, cada um à sua maneira. Ora, eu não estava morta."

O livro é todo narrado em primeira pessoa, e tem seus capítulos divididos e intercalados entre a princesa Lia, o príncipe e o assassino. Permitindo assim que o leitor consiga acompanhar todos os lados da história e entendendo um pouco melhor a trama que cerca nossos personagens.
Inicialmente eu achei a narrativa um pouco lenta, mas não o suficiente para me fazer ter aquele desejo de abandonar o livro, mas com o passar das paginas ela se torna fluida e até mesmo impossível de abandonar. É encantadora a forma como a autora cria todo o cenário dos reinos, suas tradições e costumes, prendendo o leitor em cada um dos detalhes.
Preciso parabenizar à editora Darkside, a edição do livro é simplesmente M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A. O livro tem capa dura, vem acompanhado de marcador, pôster/mapa, fita de cetim, um verdadeiro amor.
Enfim, quero agradecer a Key do blog Skull Geek, por a cada dia ter instigado ainda mais a minha curiosidade em relação ao livro, e seguir mais suas indicações literárias, menos terror hahahaha. E se eu puder dar um conselho a vocês é leiam, leiam e leiam. Sem dúvida um dos melhores do ano.

"Deste momento em diante, para o bem ou para o mal, este é o destino com que terei de viver"

2 comentários:

  1. Que resenha maravilhosa Lilhy.Fico feliz que tenha gostado da indicação. Lia é meu xodó!!! <3

    ResponderExcluir
  2. Own, é muito amor essa Lia.
    Eu agradeço a Key também, por nos apresentar essa princesa mara!
    Sua resenha ficou demais. Parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir