Light Grey Pointer Uma vida Literária : Resenha: Amor Amargo

28 de setembro de 2016

Resenha: Amor Amargo

Título: Amor Amargo
Autora: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Classificação:
Sinopse: Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado.
Até Cole aparecer.
Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto ta ali querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade...
Em um retrato realista de um relacionamento conturbado, a autora Jennifer Brown nos leva até o limite de nossos sentimentos.


Resenha:

“É. Eu dava para o gasto. Mas achei que você estava se referindo ao meu jeito cativante e beleza inesquecível.”

Quando vi Amor Amargo pela primeira vez, ele automaticamente entrou em minha lista de desejados e apesar de já saber a temática abordada no livro, confesso que não estava preparada para forma tensa como o enredo foi desenvolvido.
Nesse livro somos apresentados a Alex, uma jovem inteligente, estudiosa e que junto com Bethany e Zach, seus melhores amigos desde a infância, esta planejando uma viagem para o Colorado. Enquanto para seus amigos a viagem não passa de uma aventura e de uma forma de dizer adeus ao ensino médio, para Alex significa muito mais que uma simples diversão, essa parece ser sua única chance de finalmente descobrir o que de fato sua mãe estava indo fazer lá na noite em que morreu.
Tudo caminhava de forma perfeita na vida dela, até que um novo aluno aparece na escola. Cole é aquele típico garoto que todas as mocinhas do gênero Young Adult sonham, bonito, encantador, astro dos esportes, carismático. A primeira vista o príncipe que Alex sempre sonhou, e na verdade ela nem parece acreditar quando Cole começa a demonstrar o quanto esta interessado nela.

“Olhando fundo dos meus, seus olhos passavam ao mesmo tempo uma sensação de perigo e segurança.”

Com o passar das paginas o envolvimento entre os dois cresce, e Alex não acredita que finalmente sua vida esta quase completa, e mal pode esconder a felicidade de ter os melhores amigos que alguém poderia ter, e um namorado que se importa tanto com ela a ponto de fazê-la se sentir a pessoa mais especial e amada do mundo. Mas conforme o relacionamento dos dois avança, a verdadeira face de Cole começa a aparecer, e é nesse momento que toda a vida de Alex parece desmoronar.
Se eu pudesse definir esse livro com uma única palavra seria angústia... A cada página virada, a cada agressão sofrida pela personagem, física ou psicológica, eu ficava com um desconforto tão grande que em alguns momentos cheguei a cogitar a possibilidade de abandonar o livro, não por ele ser ruim, muito pelo contrario, mas pela confusão de sentimentos dentro de mim.
Confesso que antes de ler esse livro eu pertencia a uma parte da sociedade que acredita que a mulher que apanha do companheiro e permanece no relacionamento é porque no fundo gosta de ser agredida, sim, eu infelizmente já pensei isso, e hoje me envergonho imensamente. Tá certo que em alguns momentos eu quis entrar no livro e dar uns tapas na Alex, já que os que ela recebia ao longo da história parecia não ser suficiente para ela largar Cole, e o que tornava tudo ainda mais insuportável é que ela parecia ter pessoas dispostas a ajudá-la.

“Amedrontada demais para correr. Pasma demais para continuar de pé. Machucada demais para ser corajosa.”

Mas com o passar das páginas eu passei também a me colocar no lugar da personagem, e passei a ver todas as questões que a levava a permanecer nesse tipo de relação, comecei a enxergar de fato sua carência, sua solidão, mas principalmente seu medo. Medo de como seria sua próxima agressão, como as pessoas reagiriam ao descobrir esse “segredo” dela. Vi que era natural ela se sentir sozinha e incapaz de confiar em alguém, afinal uma das primeiras coisas que Cole faz é isolá-la do mundo, ocupando cada minuto livre da garota e também fazendo com que ela se afaste dos amigos.
O talento de Jennifer Brown para escrita é totalmente inquestionável, ela tem uma precisão ao falar de assuntos tão sérios como bullying e relacionamentos abusivos, que em muitos momentos se torna impossível não se colocar no lugar dos personagens, e até mesmo ter a sensação de que os conhece de algum lugar.

“Talvez porque seu namorado nos tratou como lixo. Talvez porque é bem provável que trate você do mesmo jeito. Ou talvez porque, desde que começou a sair com ele, não dá mais a menor bola para nós. Seus melhores amigos.”

A narrativa é fluida e consegue prender o leitor do inicio ao fim. Apesar de ser possível fazer uma leitura rápida da história, vale lembrar que o enredo é tenso e por diversos momentos angustiantes, teve partes que senti até certa repulsa dos personagens. Os personagens são muitos bem escritos, mas meu destaque vai para os personagens secundários, quem não gostaria de ter amigos como Bethany e Zach, que mesmo quando Alex se afasta deles de forma tão abrupta, eles ainda sim permaneceram fieis a sua amizade, e fizeram o possível para ajudá-la. Algumas partes do livro relacionadas aos três foram de cortar o coração.
Confesso que o final foi meio que previsível, porém isso não foi suficiente para que eu tirasse uma estrela do livro, pois mesmo já esperando um final parecido, consegui achá-lo satisfatório. Ao final do livro também existe uma nota da autora falando um pouco das suas pesquisas para criar os personagens do livro, nessa parte fica um pouco mais fácil de você imaginar como funciona a mente de uma pessoa que vive um relacionamento abusivo.
Não poderia deixa de indicar o livro, na verdade acredito até que ele deveria ser uma leitura obrigatória para todos, Amor Amargo vai fazer você se questionar, se emocionar, mas principalmente vai te fazer refletir o quanto a carência, a insegurança, o medo e até mesmo a falta de amor próprio pode te deixar vulnerável.

“Eu amava Cole, mas, às vezes, amá-lo era como andar de montanha-russa sem conseguir recuperar o fôlego entre as curvas e quedas. E, nessas ocasiões, tudo que queria era cair fora.”

2 comentários:

  1. Depois que li A Lista Negra coloquei essa autora na minha lista de livros preferidos da vida na hora, mas nunca mais li nada dela. Amor Amargo com certeza está na minha lista, mas não sei quando terei as estruturas certas para lê-lo, já que aprendi que, quando se trata dos livros dessa autora, o momento certo é tudo.

    Adorei o post, beijo!
    literarizandomomentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Alíne
    Ease livro parece ser bem forte.
    Falando a verdade eu já fiquei , vamos dizer revoltada, lendo a sua resenha.
    O único livro que eu li sobre o tema de agressão a mulher foi "Porto seguro "do Nicolas Sparks cujo a potraginista tinha medo do marido.
    E inúmeras mulheres permanecem nesse tipo de relacionamento abusivo por medo e também falta de amor próprio.
    Eu não consigo acreditar que alguém goste de apanhar, mesmo existindo as pessoas masoquistas, E me da um nervo imaginar que existem tantas mulheres sofrendo esse tipo de abusos diariamente.
    Eu não vou dizer que eu leria esse livro, mas acredito que ele seja tão bom quanto "A lista negra" o único livro que eu li dessa autora

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir