12 de agosto de 2016

Resenha: O Despertar do Príncipe

Título: O Despertar do Príncipe
Autora: Collen Houck
Editora: Arqueiro
Páginas: 384
Sinopse: Aos 17 anos, Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade.
Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem.
Um dia na seção egípcia do Metropolitan Museu of Art, Lily está pensando em uma maneira de  convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia - na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos.
A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o Vale dos Reis, no Egito, em busca dos seus outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do terrível deus Seth.

Resenha: 

Eu amo os livros da Collen Houck, a saga "A Maldição do Tigre" é a minha favorita de todas as leituras. Amo a forma intensa e bem humorada que ela escreve, a pesquisa dedicada e profunda que ela faz sobre as mitologias e a forma que ela constrói os romances ligados a essas histórias milenares. Além de ser divertido a aprendizagem é incalculável.

Através dos personagens dos livros da Collen conhecemos diversas culturas e lugares incríveis, reais ou fictícios. Os personagens são viciantes e apaixonantes.

Li "O Despertar do Príncipe" assim que foi lançado em 2015. E acabei de reler pela segunda vez hoje, porque o segundo volume da saga "O Coração da Esfinge", deverá ser lançado agora no dia 23 de agosto. Eu mal posso esperar para ler... Enfim, já me preparei relembrando a história do perfeito Amon e seus irmãos.

Liliana vivia na sua gaiola de ouro, embora tivesse tudo para ser uma garota mimada, ela era uma menina consciente da vida ao seu redor, amava observar e desenhar as pessoas. Sentia-se só e aprisionada pela vida de riqueza e cobranças patrocinada por seus pais.
Amava refugiar-se no museu e numa dessas visitas sua vida mudou completamente. Refugiada na ala egípcia que estava isolada devido a chegada de novas peças, Lily percebeu que não estava só... 

"Embora estivéssemos no trecho mais escuro daquela seção, pude distinguir com clareza a saia pregueada que terminava na altura dos joelhos e a larga superfície de um peito bronzeado e nu. Os pés descalços estavam coberto de serragem. Parecia jovem, talvez poucos anos mais velho do que eu, no entanto era careca."

Amon e seus dois irmãos (príncipes egípcios milenares) foram designados pelos deuses para defender a humanidade a cada mil anos de um possível retorno do deus Seth. Agora que despertou ele precisa da força vital dos seus vasos canópicos para ir em busca de seus irmãos e despertá-los. Mas esse despertar foi completamente diferente, ele deveria estar no Egito, guardado por sacerdotes que transmitem de geração em geração o segredo do retornos dos irmãos. No entanto, despertou em um lugar desconhecido, sem seus vasos canópicos e com uma moça crivando-o de perguntas.

O semi-deus precisa fazer um encantamento e ligar-se a Lily para viver da sua força vital até encontrar os seus vasos. A partir daí a moça está inevitavelmente presa a Amon e terá que desvendar quem e o que ele é, e assim embarcar numa grande aventura em busca dos dois outros príncipes para que a cerimônia seja realizada no tempo previsto, evitando uma grande catástrofe.

Enquanto ela sente o seu corpo enfraquecer por estar "alimentando" as forças de Amon, o sentimento e a intimidade entre eles, gerada através dessa ligação tão íntima, começa a crescer e se solidificar. Como namorar uma múmia (mesmo sendo um príncipe lindo e perfeito) que deverá ir embora após o ritual e retornar só daqui a mil anos para salvar a humanidade novamente?

Bem, quem leu "A Maldição do Tigre", irá me entender. Quem não leu, farei em breve uma resenha. Enfim, na primeira vez que li "O Despertar do Príncipe", foi impossível não fazer o link entre os personagens: 
        
A Maldição do Tigre: Ren - príncipe indiano que precisa vencer o malvado Lokesh. Ele tigre e homem. Precisa quebrar a maldição para ser apenas homem. Conta com a ajuda da sua amada Kelsey para quebrar essa maldição.
Seu irmão Kishan, também é amaldiçoado e vive como homem e como tigre, os dois lutam juntos e amam a mesma mulher. Ren é mais doce e romântico. Kishan é mais atrevido. Eles são orientados, guardados, protegidos e servidos pelo Sr. Kadam.

O Despertar do Príncipe: Amon - príncipe egípcio que precisa deter o terrível deus Seth. Vira falcão. Está condenado a ser múmia junto com seus dois irmãos. Amon precisa de Lily para conseguir deter o mal e completar o ritual. Ele e Lily se apaixonam, mas seus irmão demonstram interesse pela garota também. Amon é doce e romântico. Seu irmão Asten é mais atrevido. Eles são orientados, guardados, protegidos e servidos pelo doutor Hassan.

Quando leio um livro pela primeira vez, devoro em pouco tempo para saber o que irá acontecer. Ainda mais se estiver curtindo a leitura. Depois leio novamente em outro momento com mais calma, aí sim saboreando a leitura e me atendo aos detalhes. Na primeira leitura desse livro achei sim muito cópia da saga da "Maldição". Na segunda leitura, embora tenha percebido as semelhanças que destaquei acima, consegui me encantar com os personagens e desvinculá-los dos outros, dando vida e personalidade próprias a eles.

A uma riqueza de detalhes e percebe-se mais uma vez a dedicação da autora na pesquisa para escrever essa obra. É impossível não se sentir em meio a um filme do Indiana Jones e A Múmia. Os irmãos são lindos e tudo de bom, e é maravilhoso acompanhar trechos da história deles, descobrindo como eles viraram "semi deuses". Amon e Lily são perfeitos juntos e fica impossível não torcer por eles e se desesperar em busca de uma saída para que possam ficar juntos.

Agora fico aqui contando os dias para ler "O Coração da Esfinge"...

Ah! Imaginei como Amon e Lily os atores do filme "Como não esquecer essa garota", Zachary Levi e Alexis Bledel.









Nenhum comentário:

Postar um comentário