Light Grey Pointer Uma vida Literária : Crônica Millor Fernandes

5 de julho de 2016

Crônica Millor Fernandes

Essa crônica é uma graça e apesar de ser super conhecida é muito bom relembrá-la sempre. Quanta verdade em uma historinha tão singela... Parece feita para crianças, mas a lição é de gente grande.
*  Créditos na imagem: www.ecodesenvolvimento.org

O piquenique das tartarugas

Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique.
As tartarugas, sendo naturalmente lentas, levaram sete anos preparando-se para o passeio.
Passados 6 meses, após acharem o local ideal, ao desembalarem a cesta de piquenique descobriram que estavam sem sal.
Então, designaram a tartaruga mais nova para voltar para casa e pegar o sal, por ser a mais rápida.
A pequena tartaruga lamentou, chorou e esperneou, mas concordou em ir com uma condição: 
que ninguém comeria até que ela retornasse.
Três anos se passaram... Seis anos... E a pequenina não tinha retornado.
Ao sétimo ano de sua ausência, a tartaruga mais velha já não suportando mais a fome, decidiu desembalar um sanduíche.
Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou:
-Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora mesmo que eu não vou buscar o sal.

Pense bem! Algumas vezes em nossa vida as coisas acontecem da mesma forma. Desperdiçamos o nosso tempo esperando que as pessoas vivam a altura das nossas expectativas.
Ficamos tão preocupados com que os outros estão fazendo que deixamos de fazer o que nos compete.

Como disse Mário Quintana: o pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso.
Por isso, vivamos nossa vida e deixe de se preocupar com a opinião e o interesse dos outros por nós.

Não venci todas as vezes que lutei, mas perdi todas as vezes que deixei de lutar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário