Light Grey Pointer Uma vida Literária : Resenha: Filha da Floresta

27 de junho de 2016

Resenha: Filha da Floresta


Titulo: Filha da Floresta
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly
Paginas: 616
Sinopse: O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos...
Passada no crepúsculo cela da velha Irlanda, quando o mito era lei e a maga uma força da natureza, está é a história de Sorcha, a sétima filha do sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vitimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.



Resenha:

Comecei a ler Filha da Floresta totalmente no escuro, afinal só estava lendo o livro por indicação, já que tenho uma amiga que faz questão de dizer que o livro é ótimo. Sendo assim, não apostei muito na história, o que de certa forma foi muito bom, pois me surpreendi a cada página. O conhecimento de Juliet é amplo, e por mais que em alguns momentos você queira largar o livro por ser grande e de uma leitura lenta, ela nos instiga a continuar a leitura e descobrir qual fim seus personagens terão.

Sorcha é a sétima filha do sétimo filho, o Lorde Colum, sua mãe morreu durante o parto que lhe deu a vida, sendo assim seu pai se tornou um homem frio e distante e nem mesmo seus filhos fariam capazes de manter seu coração aquecido. Sorcha cresceu em meio a floresta e com grande influência de seus irmãos na sua educação e personalidade. Destemida, ela vive de certa forma como um garoto e possui uma grande habilidade com as plantas, seu conhecimento é amplo e a garota sempre é solicitada para ajudar na cura de um enfermo da região em que moram.
Após voltar de uma viagem, Lorde Colum percebe que sua filha já esta crescida e que a influencia feminina fez falta na vida da garota, mas assim que ele voltar de sua próxima comitiva ele dará um jeito nisso. E é exatamente isso que acontece, quando volta de viagem, Lorde Colum esta acompanhado da nova madrasta de Sorcha, uma típica madrasta de contos de fadas.
Logo que Sorcha e seus irmãos colocam os olhos em Lady Oonagh, eles percebem a maldade incrustada na sua alma e que no fundo o verdadeiro objetivo da futura madrasta é destruir a união e o amor que existe entre os irmãos. Diante disso, os sete irmãos decidem ir até a floresta e fazer um ritual pedindo proteção aos seres da floresta, mas no momento em que estão fazendo o ritual a madrasta aparece lançando uma maldição sobre eles e somente Sorcha consegue sair ilesa da maldição que transformou seus irmãos em cisnes. Agora Sorcha terá que enfrentar uma dolorosa e longa tarefa para salvar seus irmãos e trazê-los novamente a forma humana.

Se existe uma personagem literária que sofre mais que Sorcha eu ainda não li sobre ela... A garota passa por tantas desgraças que em alguns momentos eu senti vontade de ligar para a autora e dizer que já deu, que ela já podia parar e trazer o "felizes para sempre" que a personagem tanto merece.
Sorcha foi uma personagem que tive um imenso prazer de conhecer,  pois ela carrega em si uma capacidade tão grande de se colocar em segundo plano pelas pessoas que ama, que em alguns momentos essa sua bondade se torna divina. Ela se sacrifica por todos que ama e o que ela recebe em troca é mais sofrimento, mas ela não desisti, não desanima, simplesmente segue em frente, se sacrificando ainda mais por amor ao próximo. 
É bem difícil fazer uma resenha de um livro tão intenso quanto Filha da Floresta, confesso que a leitura foi bem cansativa para mim, porém prazerosa, foi imensamente gostoso entrar em um mundo totalmente novo e inédito. A maneira como Juliet conduz a história de forma divina, e ainda aborda temas importantes como a violência contra a mulher, o papel da mulher na sociedade e sua importância na cultura celta. Por ser narrado todo em primeira pessoa, é possível sentir toda a angustia de Sorcha durante toda leitura, seu sofrimento se propaga até os últimos capítulos, mas a intensidade simplesmente não te permite abandonar o livro nem mesmo quando ele se angustiante demais. A construção dos personagens é perfeita, e até mesmo os personagens secundários carregam sua importância, tornando a historia ainda mais completa.
Eu não poderia deixar de dar os parabéns a Editora Butterfly, pelo lindo trabalho desenvolvido nesse livro, a capa, dramatização, o mapa e a abertura de cada capitulo só serve para nos introduzir ainda mais nessa linda historia. É possível encontrar alguns erros de revisão, mas não é nada que chega a incomodar.
Filha da floresta é um livro intenso, marcante e profundo, e claro que super recomendo.










Nenhum comentário:

Postar um comentário