Light Grey Pointer Uma vida Literária : Resenha: A Escrava Isaura

11 de abril de 2016

Resenha: A Escrava Isaura


Autor: Bernardo Guimarães
Editora: L&PM
Adaptação: Paulo Seben
Ano: 2003
Páginas: 64
Sinopse: “Isaura é uma moça linda. É desejada por muitos homens. Tem a pele quase branca, sendo filha de uma mulata e um homem branco. Mas ela não tem liberdade para agir por sua vontade, porque é uma escrava. Ela pertence a Leôncio, um fazendeiro autoritário que não admite ser contrariado e quer o amor da moça. Por isso, Isaura é obrigada a fugir para longe. Essa é a história principal do romance de Bernardo Guimarães, escritor que estava interessado em discutir a maior vergonha social brasileira, a escravidão. Por mais de 300 anos o Brasil conviveu com gente sendo propriedade de gente. E Isaura, mesmo tendo a pele quase branca, sofre os horrores da falta de liberdade, nesta história romântica com final feliz.”



Resenha
No final do ano de 2015 ganhei em um sorteio o livro A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães, porém em uma versão adaptada para novos leitores que está na coleção “É só o começo” da editora L&PM. Esse é um dos clássicos do Romantismo, movimento literário de caráter sentimentalista, que tinha como principais temas: o amor à mulher, à natureza, nacionalismo, índio e escravidão. E tem Guimarães como um de seus grandes representantes na prosa.
O romance narra a história de Isaura, uma jovem linda, filha de uma mulata e um feitor da fazenda que mesmo sendo escrava recebeu uma boa educação após a morte de sua mãe ao ser criada pela esposa do comendador de uma fazenda as margens do rio Paraíba no Rio de Janeiro. Tudo muda quando a senhora morre, pois seu filho Leôncio começa a observar a beleza de Isaura e tenta seduzi-la de todas as formas. Após tanto sofrimento, Isaura conseguiu fugir com seu pai para Recife. Conheceram Álvaro, um rapaz órfão, nobre e abolicionista por quem Isaura se apaixona, porém Leôncio por capricho leva a moça de volta para a fazenda, tendo que aguentar ameaças e castigos. Álvaro não desiste da amada e vai até a fazenda. E agora, qual será o destino do casal?

“Leôncio só tinha começado a prestar atenção em Isaura depois de casado, porque antes quase não parava na casa dos pais. Malvina era linda, mas ele tinha casado com ela por dinheiro e não por amor. Isaura abalou o coração do dono da fazenda, que sentia pela escrava um amor cego e violento.” (pág. 15)

Entre as características do Romantismo presentes na obra, podemos destacar as personagens planas, pois não sofrem alterações em sua personalidade, mantendo as mesmas peculiares do início ao fim. Temos então o vilão Leôncio, um jovem rico, vaidoso, amante de farras e luxo, que fazia de tudo para conseguir o que ambicionava. Em oposição tem Isaura, uma garota encantadora, bela, pura que resiste às perseguições do antagonista.
Outro fator de muita frequência na prosa romântica é o emprego exagerado de adjetivos. Esse uso abundante da linguagem metafórica tem como objetivo idealizar um espaço ou personagem e é muito perceptível em A Escrava Isaura.

“Os cabelos da cantora eram negros, a cor da pele era clara como as teclas do piano. O queixo de verdadeira dama realçava o busto maravilhoso. Os caracóis dos cabelos escorriam pelos ombros e escondiam quase todo o encosto da cadeira. O rosto, voltado para a janela, refletia a luz do sol. Mas o olhar se perdia no vazio.” (pág. 08)

Por trás dessa trama amorosa, Guimarães faz uma crítica aos escravistas, às privações e humilhações que o ser humano sofria na época da escravidão. O que se percebe é que até hoje a sociedade brasileira sofre os resquícios desse momento da sua formação, seres humanos tratados como objetos.

“- Vá lá que eu suporte recusas: mas me passar sermão! Com quem você pensa que está falando? Fique sabendo que você me pertence de corpo e alma. Você é minha propriedade, como um vaso, que eu posso usar ou quebrar, se quiser.” (pág. 30)

O interessante no livro, além do enredo é que possue uma linguagem simples, assim como notas históricas e geográficas, biografia do autor, caracterização dos personagens, dicas de livros, filmes e sites, objetivando melhorar a leitura e facilitando o entendimento da obra.
Boa leitura!!!



10 comentários:

  1. Oi, tudo certo?

    Sou beeem velhinha, meu primeiro contato com A Escrava Isaura foi a novela com a Lucélia Santos. Nossa eu odiava aquilo, tanto sofrimento.

    Depois li para o colégio uma versão nada amigável do livro, por isso amei saber que a L&PM está lançando versões atualizadas dos clássicos. Acho importante lermos os clássicos, os bons autores, as obras consagradas pelo tempo, mesmo que sejam chatas rsrsrs

    Linda resenha, parabéns.
    Bel Góes

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    o que eu sei da história é que eu cheguei a assistir da novela, rs. Gostei bastante dessa edição, com uma linguagem de fácil entendimento, dessa forma, conhecemos mais das histórias clássicas. Uma boa dica!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  3. Olá tudo bem ?
    É uma obra que eu quero muito ler, é totalmente fora dos padrões no qual eu leio , porém sempre tive vontade em me aprofundar nessa história , o que conheço sobre a Escrava Isaura são as coisas que vi representadas em novela. Parabéns pela resenha !

    ResponderExcluir
  4. Eu já comecei a ler esse livro a muito tempo atrás na escola, mas não me lembro o motivo de não ter continuado. Adorei a novela que teve e é uma história que realmente me tocou. Espero um dia dar continuidade a leitura e extrair ao máximo tudo que ela tem a oferecer.


    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura - Participe do top comentarista de maio, serão dois ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    confesso que só tive contato com a novela e nem me lembro direito! Fiquei empolgada em saber que a linguagem é simples, pois nem sempre clássicos são assim!
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  6. Olá Luciana!!!
    Li o livro A Escrava Isaura e digo que o livro me encantou, senti o que a personagem sentia e muitas vezes quis acabar com Leôncio. É um livro que mostra como era a Escravidão e como as pessoas eram tratadas como objeto para serem usado como o seus "donos" achavam que podiam.
    Gostei da resenha e realmente você mostrou do que se trata o livro.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. nossa!!!

    uma leitura que fiz no colégio ainda...não esse, um mais pesado pelo jeito, mas eu amei mesmo assim!!!

    adorei a sua resenha e até me deu saudades da leitura....

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, nunca tive a oportunidade de ler esse clássico. Adorei a resenha e espero um dia poder ler também!

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Escrava Isaura é um livro que sempre quis ler, acho até que o tenho aqui, mas na escola nunca foi pedido e fui deixando de lado, espero ler ainda porque acho a história muito boa!
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Tem muitos anos que li esse livro, era adolescente ainda. Não consigo me lembrar de muitos detalhes sore a obra, mas lembro-me de que gostei muito da leitura. É um clássico do Romantismo e, apesar de algumas críticas negativas que já li, considero-o um grande livro.~

    Tatiana

    ResponderExcluir